Você está aqui: Página Inicial > Estrutura > SAE
conteúdo

Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos

Hussein Ali Kalout

Na administração pública, assumiu responsabilidades como secretário de Relações Internacionais do Superior Tribunal de Justiça; diretor de Cooperação Jurídica Internacional da Procuradoria Geral da República; na esfera internacional, foi consultor da Nações Unidas; secretário-geral da Comissão Conjunta de Poderes Judiciários de América Latina, Caribe e União Europeia; secretário-executivo da Cúpula Judiciária da UNASUL.

É autor de publicações em diversos meios científicos no Brasil e no Exterior, incluindo Foreign Affairs, Global Discourse/Routledge, Foreign Policy e Harvard International Review. Hussein Kalout estudou na Universidade de Brasília, na Universidade Árabe de Beirute, no Institut d'études politiques de Paris (Sciences Po) e na Universidade Harvard.

 

Contatos da Secretaria

Hussein Ali Kalout Secretário Especial de Assuntos Estratégicos (61) 3411-3274 / 3411- 2330

Agenda

agenda SE.png

Estrutura Organizacional

Competências

À Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos – SEAE, órgão especifico e singular da Secretaria-Geral, compete:

I - assistir a Presidência da República no planejamento de políticas e estratégias de longo prazo;

II - subsidiar a discussão das opções estratégicas do País, considerando a situação presente e as possibilidades do futuro;

III - formular marcos referenciais de cunho estratégico, considerados os riscos e as ameaças à integridade e aos interesses estratégicos nacionais;

IV - articular políticas e estratégias nacionais de longo prazo com órgãos do governo, os poderes públicos e as instituições da sociedade civil;

V - cooperar na formulação, no planejamento, na execução e no acompanhamento de ações governamentais com vistas à defesa da soberania e das instituições nacionais e à salvaguarda dos interesses do Estado;

VI - promover a governança estratégica entre os órgãos de governo, voltada ao planejamento de longo prazo e à inserção internacional do País;

VII - propor mecanismos estratégicos de concertação técnica e política com instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, que subsidiem o aprimoramento, a modernização e o fortalecimento do setor público nacional;

VIII - colaborar no delineamento de estratégias para a Presidência da República na formulação de políticas, em especial nas áreas de segurança, defesa nacional, política externa, inteligência, indústria, comércio e desenvolvimento, e ciência e tecnologia;

IX - coordenar, supervisionar e fomentar projetos e programas necessários à preparação das ações estratégicas de governo;

X - participar de órgãos colegiados, conselhos deliberativos, consultivos ou opinativos, câmaras e grupos de trabalho que tratem de políticas e estratégias nacionais de longo prazo nos quais a Presidência da República tenha assento; e

XI - pronunciar-se sobre questões estratégicas encaminhadas pelo Presidente da República ou pelo Secretário-Geral da Presidência da República.